Andy Murray fora do Australian Open

O que era somente um boato que vinha ganhando força nas últimas horas acabou sendo confirmado nesta quinta-feira, dia 4 de janeiro, faltando pouco mais de 10 dias para o início do primeiro Grand Slam da temporada: Andy Murray, que abriu a temporada passada como número 1 do ranking da ATP está fora do Australian Open 2018.

Andy Murray não joga oficialmente desde o torneio de Wimbledon do ano passado, quando finalmente sucumbiu à lesão no quadril que acabou minando todo o seu tênis que o levou a liderar o ranking da ATP ao final da temporada de 2016, ano em que chegou na final do Australian Open, de Roland Garros e que venceu o torneio de Wimbledon pela segunda vez, além de ter vencido também o ATP World Tour Finals no final do ano na O2 Arena em Londres.

Para esta temporada de 2018 o início de ano de Andy Murray estava programado para que ele jogasse uma semana de treinos em Abu Dhabi e depois partisse para a disputa do ATP de Brisbane, no qual ele já havia cancelado a sua participação.

Como sentiu dores durante este período de treinos, Andy Murray teve que novamente operar o seu quadril, o que o fará voltar para Londres e inviabiliza qualquer chance de jogar o Australian Open deste ano, conforme comunicado pelo próprio jogador em suas redes sociais:

“Infelizmente não poderei jogar em Melbourne este ano. Ainda não estou pronto para competir. Viajarei de volta para casa para avaliar todas as opções”.

A lesão aumenta assim a ausência de Andy Murray no circuito internacional do tênis, já que desde o torneio de Wimbledon do ano passado o britânico fez apenas duas partidas de exibição na tentativa de voltar a jogar, contra Roger Federer em novembro do ano passado e contra Roberto Bautista Agut na semana passada.

Andy Murray não é o primeiro tenista da elite a desistir do Australian Open deste ano: Kei Nishikori já havia desistido da participação no Aberto da Austrália deste ano, assim como Rafael Nadal e Novak Djokovic ainda não estão 100% e podem trazer novidades nas próximas semanas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *