Brasil irá disputar a qualificatória da Copa Davis 2019

A Copa Davis em 2019 terá um novo e polêmico formato, que vem gerando diversas críticas de jogadores, torcedores e até mesmo de alguns dirigentes ao redor do mundo. Porém, ironicamente este novo formato da competição na próxima temporada já ajudou muito o Brasil, que foi derrotado pela Colômbia na rodada final do Zonal Americano I em abril deste ano e só poderia tentar uma vaga no Grupo Mundial em 2020.

De acordo com as novas regras da Copa Davis haverão qualificatórias para a fase final do torneio que será realizada em sede única em novembro do ano que vem. Estas qualificatórias serão realizadas em fevereiro e o Brasil se garantiu no torneio muito graças à vitória do Canadá contra a Holanda na última semana.

Diz a regra do novo torneio que os 3 países das Américas melhores ranqueados e que não tem vaga direta como cabeça de chave no próximo ano terão direito a disputar o qualificatório, o que engloba o Brasil.

A Federação Internacional de Tênis, a ITF, já confirmou a participação do Brasil e ainda anunciou os possíveis adversários do Brasil nesta primeira fase da Copa Davis de 2019. O time nacional poderá ter como adversários: Argentina, Alemanha, Áustria, Bélgica, Canadá, Cazaquistão, Grã-Bretanha, Itália, Japão, República Tcheca, Sérvia ou Suécia.

A ITF também divulgou também os possíveis mandos nestas partidas qualificatórias e o Brasil jogaria em casa caso fosse sorteado para enfrentar Argentina, Alemanha, Áustria, Bélgica, Itália, Japão ou República Tcheca. O confronto contra Canadá ou Suécia seria realizado na casa dos adversários e em caso do adversário ser Sérvia, Grã-Bretanha ou Cazaquistão o mando seria definido por um novo sorteio.

Para definir os confrontos a ITF também já definiu a data deste sorteio, que será realizado na próxima quarta-feira dia 26 de setembro.

Esta será uma chance de redenção para o Brasil na Copa Davis, que fez feio nesta temporada sem alguns de seus principais nomes e com a derrota para a Colômbia no começo do ano deixaria o país de fora até mesmo da repescagem para o Grupo Mundial em 2019 pela primeira vez desde 2005.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *