Daniele Bracciali é banido do esporte por manipulação de resultados

A quarta-feira reservava para o italiano de 40 anos Daniele Bracciali a disputa das quartas de final do Challenger da Andria contra o bielorrusso Uladzimir Ignatik, mas uma notícia inesperada para o jogador acabou mudando não somente os seus planos para o dia, mas sim para todo o resto da carreira do agora ex-tenista profissional: o jogador está banido para sempre das quadras pela TIU, a Tennis Integrity Unit, o órgão responsável por investigar a corrupção no tênis.

O processo que culminou no banimento de Daniele Bracciali do esporte é antigo e data do ATP 500 de Barcelona na Espanha de 2011. Na época o jogador entrou em quadra apenas uma vez no torneio, em disputa de duplas junto com o espanhol David Marrero, enfrentando na estreia o sul-africano e hoje um dos astros do esporte Kevin Anderson e o sueco Simon Aspelin por 2 sets a 0, pariciais de 7-6 e 7-5.

Investigações posteriores mostraram que Bracciali teria facilitado apostas relacionadas a este jogo, o que levou o italiano hoje a ser banido para sempre do tênis e ainda ter que pagar uma multa de US$ 250 mil, valor que convertido chega perto de R$ 1 milhão.

Outro tenista que foi punido hoje pelo mesmo motivo em processo que teve início no mesmo ATP 500 de Barcelona de 2011 foi o também italiano Potito Starace, que foi suspenso do tênis por 10 anos e terá uma muita um pouco menos salgada, de US$ 100 mil, algo em torno de R$ 378 mil. Como já tem 37 anos, a punição de Starace também é quase com certeza um ponto final em sua carreira profissional no esporte.

Ironicamente, Daniele Bracciali e Potito Sterace durante muitos anos formaram uma dupla de sucesso nos torneios da ATP, jogando mais de 50 torneios juntos e tendo como melhor resultado chegar até as semifinais do Grand Slam de Roland Garros em 2012.

Daniele Bracciali chegou a ter como melhor ranking entre os simples a 49ª posição alcançada em 2006, enquanto entre as duplas teve também um bom desempenho chegando ao número 21 do mundo em 2012.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *