Kei Nishikori vai recuperando o bom ritmo

O tênis japonês tem muito o que comemorar nestes últimos tempos. Começando pelo inesperado título de Naomi Osaka no ATP Masters 1000 de Indian Wells, quando venceu na grande decisão a russa Daria Kasatkina por 2 sets a 0 sem dificuldades por 6 -3 e 6 – 2. E outra grande notícia para os fãs do tênis na terra do sol nascente é o retorno de Kei Nishikori ao circuito após muito tempo afastado das quadras para tratar uma lesão no punho.

Nishikori foi uma das vítimas da “maldição” que assolou os tenistas do top 10 do ranking da ATP na temporada passada e foi obrigado a encerrar o seu ano de 2017 ainda em agosto antes do Masters 1000 de Cincinnati. Antes dele, Novak Djokovic e Stan Wawrinka já tinham dado adeus à temporada por causa de lesão.

E assim como os dois tenistas, Kei Nishikori também vem sofrendo para finalmente voltar à ativa e jogar novamente em alto nível contra os grandes do tênis mundial.

Porém, uma grande demonstração de que o jogador está voltando rapidamente ao auge da sua forma foi dada na estreia do japonês no ATP Masters 1000 de Monte Carlo, vencendo ninguém menos do que Tomas Berdych, atual número 18 do ranking por 2 sets a 1. O japonês sofreu apenas no primeiro set, sendo derrotado por 4 – 6. Nos sets seguintes passou a dominar o jogo e venceu por 6 – 2 e 6 – 1. A partida durou exatos 1 hora e 45 minutos.

Agora na segunda rodada do charmoso torneio o jogador irá ter um grande desafio pela frente ao enfrentar um adversário inédito, o jovem de 22 anos Daniil Medvedev, que ocupa atualmente a 49ª posição do ranking da ATP.

Aconteça o que acontecer daqui para frente, Kei Nishikori já pode ser considerado o maior tenista da história do Japão. Aos 28 anos, Kishikori foi o primeiro japonês a entrar no Top 10 do ranking da ATP, tendo como melhor colocação um 4º lugar.

Além disso, com a final do US Open de 2014 perdida para Marin Cilic se tornou o segundo japonês na história a chegar em uma final de Grand Slam, quase um século após Jiri Satoh conseguir este feito no torneio de Wimbledon em 1933.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *