Sharapova e o ótimo início no US Open

Estamos em 2017, um ano de grandes retornos para o tênis internacional. Basta olhar para o calendário masculino que veremos Roger Federer e Rafael Nada disputando ponto a ponto a liderança do ranking da ATP, da mesma maneira que faziam uma década atrás.

E enquanto no tênis feminino vemos um ano de grandes mudanças principalmente com Serena Williams afastada do circuito por conta de sua gravidez, uma outra situação de retorno pode marcar o esporte neste quarto e último Grand Slam do ano, com Maria Sharapova voltando a disputar um torneio de Grand Slam 18 meses após a sua última participação, por ter sido pega no exame antidoping após o Australian Open do ano passado.

Para entrar neste US Open de 2017 a russa precisou contar com a boa vontade da organização, que lhe ofereceu um convite após a jogadora não obter ranking para entrar na competição depois de uma suspensão de 15 meses.

Vale lembrar que neste ano de 2017 Sharapova já poderia ter participado de Roland Garros mas teve o seu convite negado pela organização, além de ter se contundido momentos antes da disputa do qualifying de Wimbledon ficando também de fora do Grand Slam inglês.

O doping de Maria Sharapova com toda a certeza do mundo foi superdimensionado por conta dos grandes casos de doping que estavam estourando na mídia mundial ao mesmo tempo em que o seu era divulgado. Porém vale lembrar também que o Meldonium, substância que regula o metabolismo e pode ajudar no desempenho. Esta substância era liberada até o dia 31 de dezembro de 2015, pouco mais de um mês antes de Sharapova ser pega, o que pode demonstrar muito mais um erro do que má fé.

Neste US Open de 2017 por conta do seu ranking ruim a russa já teve uma pedreira logo em sua estreia, enfrentando a número 2 do mundo Simona Halep, vencendo e avançando para a segunda rodada, onde venceu a húngara Timea Babos e já está na terceira rodada.

No betboo uma aposta no título de Maria Sharapova no US Open paga o retorno de R$6,50 a cada R$1 apostado, sendo a terceira maior favorita ao título atrás de Karolina Pliskova e Garbine Muguruza. Mas em um ano de retornos como 2017 quem pode dizer que Sharapova não tem chances?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *