wimbledon

Wimbledon promete equilíbrio no torneio feminino

Quem acompanha os torneios da ATP na última década, principalmente os Grand Slam, já sabe o que esperar antes do início de cada competição: títulos de Rafael Nadal, Roger Federer ou Novak Djokovic, com raras surpresas a cada disputa. Porém, o cenário da WTA é muito diferente disso e o torneio de Wimbledon que começa nesta segunda-feira dia 1 de julho mostra muito bem isso, com grande equilíbrio entre as favoritas ao título.

Se levarmos em consideração as cotações dos sites de apostas podemos ilustrar bem esta situação. Usando como base o site betboo, referência no mercado de apostas para o tênis internacional, a diferença nas cotações para as duas principais favoritas, a australiana Ashleigh Barty e a tcheca Karolina Pliskova é de apenas R$ 0,50 com ligeiro favoritismo para Barty.

Ashleigh Barty chega à grama sagrada do All England Lawn Tennis Club como o status de líder do ranking da WTA após ter vencido no último mês o torneio de Roland Garros. Barty foi campeã em Wimbledon na versão juvenil em 2011 e vive uma retomada em sua carreira desde que em 2015 anunciou que deixaria o esporte para jogar críquete, voltando às quadras menos de um ano depois.

Karolina Plsikova chega como a segunda maior favorita para conquistar o título em Wimbledon muito por conta de ter conquistado na preparação para o torneio o título em Eastbourne sem perder nenhum set na campanha. Porém, pesa contra ela todas as campanhas ruins que teve em Wimbledon já que a sua melhor campanha foi chegar apenas às oitavas de final.

Uma grande surpresa na lista de favoritas do betboo a terceira maior favorita para ficar com o título é Serena Williams, que sequer entrou em quadra nos torneios preparatórios para a grama londrina.

Serena vem sofrendo uma série de lesões neste ano, mas nunca pode ser considerada uma carta fora do baralho, já que conquistou o título em Wimbledon em sete oportunidades diferentes: 2002, 2003, 2009, 2010, 2012, 2015 e 2016.

Porém, vale lembrar as surpresas de todos os torneios de Grand Slam femininos nos últimos anos, o que pode render um bom lucro para aquele que tiver coragem de apostar em alguma “zebra”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *